Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Translate

Seguidores

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

O Hebraico é a Língua Judaica

Wayne Dosick

Certamente é possível ser judeu – aprofundar-se nos estudos e no envolvimento judaico, apreciar a vida judaica, criar um relacionamento pessoal com Deus, - no vernáculo, em inglês ou russo ou grego, ou em qualquer uma das centenas de línguas. Mas tentar experimentar o judaísmo sem hebraico é como tentar ler um bom livro em uma tradução ruim ou ver um lindo quadro em uma reprodução em preto e branco.

O hebraico contém as maravilhas, os segredos, os mistérios e os doces prazeres de comunicar-se com toda a experiência judaica e de uma íntima conversa com Deus.

Nós judeus precisamos do hebraico porque é a chame que abre o grande depósito, a grande casa do tesouro do judaísmo.

Ainda assim tristemente poucos de nós, judeus contemporâneos (nós que estudamos latim, francês,e espanhol, que negociamos com japoneses e coreanos, que nos tornamos especialistas em literatura chinesa) sabemos hebraico. Muitos do “povo do Livro” não lêem o Livro no original. Muitos de nós não estão familiarizados e não se sentem à vontade com os cantos das preces em hebraico.

Muitos não entendem um simples cumprimento em hebraico ou uma palavra de um jornal israelense.

Não é nossa culpa se não sabemos hebraico. As aulas de hebraico eram enfadonhas, os professores eram antiquados e medíocres. Nós nos divertíamos muito mais nos esportes ou aprendendo ballet.

Não é nossa culpa se não sabemos hebraico. Mas é nossa perda. É nossa perda porque tanto do judaísmo está fechado para nós. Tanto do judaísmo permanece intocado, estrangeiro e oculto porque, muito mais do que nós gostaríamos não temos as palavras para falar ou para entender.

A boa notícia é que nunca é tarde demais. Nunca é tarde demais para aprender hebraico.

Afortunadamente o hebraico é uma língua concisa e relativamente simples. Tem um alfabeto de 22 consoantes com sete vogais. Cada letra e vogal tem seu próprio som e quase todas as palavras em hebraico são foneticamente regulares e consistentes, tornando a pronúncia e a leitura razoavelmente fácil. Certamente, como todas as outras línguas, o hebraico tem sua construção gramatical complexa e algumas irregularidades aparentemente insondáveis. Mas não temos que estudar por muito tempo ou nos tornarmos sábios lingüistas para ter habilidade verbal e de leitura em hebraico, vocabulário e princípios gramaticais que abrirão o mundo do judaísmo para nós.

Existem muitos programas diferentes e variados para o estudo do hebraico: vídeos, fitas, programas de computador e textos especialmente preparados para ensinar adultos; cursos que enfatizam a habilidade da leitura, conversação em hebraico moderno e hebraico diplomático mais formal; cursos para compreender hebraico bíblico ou hebraico dos livros de orações ou hebraico moderno dos jornais israelenses. Há oportunidades em todas as partes: nas sinagogas e escolas judaicas, nos centros comunitários, nas faculdades, universidades e centros de estudo comunitários, em programas para educação de adultos em diversos lugares, por correspondência, por fax e pela Internet.

Alguns cursos levam um ano ou um semestre ou uma noite por semana por 10 semanas. Outros são textos que prometem habilidade de leitura com compreensão simples em menos de um mês. Um programa até garante habilidade para leitura básica em uma única maratona de 12 horas. E, é claro, como em todo estudo e crescimento pessoal, o estudo do hebraico pode levar uma vida toda – uma palavra nova hoje, um princípio gramatical novo amanhã, melhor compreensão no dia seguinte, uma outra palavra nova no outro dia.

Quando decidimos aprender hebraico e continuar a melhorar nosso conhecimento e habilidades, nós nos empenhamos em conhecer no mínimo tanto quanto um cachorrinho em Israel. Quando decidimos aprender hebraico, estamos nos dando o grande presente da tradição judaica que vem somente através da “língua sagrada”, somente através da língua do Sinai e de Jerusalém. Quando decidimos aprender hebraico, tocamos no que somos. Porque, em nosso âmago, conhecemos o ensinamento de Chaim Nachman Bialik, o poeta nacional de nosso povo: “O hebraico é nosso sangue e nossa carne e cada encontro com ele é um encontro com nossa alma”.

Extraído de:
Comunidade Shalom

Nenhum comentário: