Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Translate

Seguidores

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Shevá

Explicação de Airton José da Silva sobre shevá:
http://www.airtonjo.com/blog/2006/12/em-sheva-contra-sheva-apenas-um.html

(...) em hebraico existe uma semivogal. Seu nome é shevá e consiste, na sua forma mais simples, de dois pontos colocados sob a consoante, como se fosse o nosso : Parece esquisito, mas o shevá serve para preencher o espaço vazio sob uma consoante desvocalizada (para quem já conhece, observo que a terminologia "vogal" aqui está sendo usada no lugar de "sinal massorético") . Este shevá simples tem um som rápido de "e" e aparece transliterado como um "e" sobrescrito.

Entretanto, no uso do shevá podem surgir muitos problemas. Considere a seguinte situação: em hebraico, uma sílaba é sempre composta por uma consoante e uma vogal (sílaba aberta, como em ba-na-na) ou por uma consoante, uma vogal e outra consoante (sílaba fechada, como em sol). E o que você faria se aparecessem dois shevás no início da palavra, um ao lado do outro - e aparecem - e você sabendo que uma sílaba não pode começar com duas consoantes sem vogal? O jeito é mudar pelo menos um shevá em vogal. Mas qual vogal ele tomaria emprestado? O hîreq qâton, que corresponde ao nosso "i", como na palavra "fino", e é representado em hebraico por um . debaixo da consoante.

Nenhum comentário: